Publicidade

Profissionais da rede: Empresas investem em mídias sociais, mas qualificação é desafio

Nenhum comentário

Júnia Brasil - Do Portal HD


Arquivo Pessoal
Samantha Dutra- Redes sociais
Samantha Dutra defende formação acadêmica para prossionais do ramo

Tuitar, passar o dia monitorando uma página no Facebook, postar fotos no Instagram, fazer vídeos e ainda cuidar do blog corporativo. Ser analista de redes sociais pode parecer uma tarefa simples, mas exige do profissional muita seriedade e qualificação contínua. A publicitária Samantha Dutra está no ramo há um ano e defende a profissionalização para quem almeja atuar como mediador entre os clientes e as empresas nos sites de relacionamento. "O profissional precisa ter formação acadêmica na área da comunicação, além de um curso completo sobre comportamento na web, ferramentas de monitoramento e noções de marketing e publicidade", diz.

De acordo com o professor e empresário Salomão Terra, as empresas mineiras estão investindo na contratação dos chamados "social medias" para cuidar da presença delas nas redes sociais. Porém, nem todas tem o cuidado de selecionar bem o profissional e continuar investindo no crescimento dele após a contratação. "Por um lado temos ampla oferta de pessoal nos campos mais tradicionais, como design e desenvolvimento, por outro carecemos de profissionais que não tenham um conhecimento intuitivo, mas sim sólido e referenciado na academia. Infelizmente, várias empresas de comunicação não percebem que para trabalhar com redes sociais temos de nos reinventar, abrir perspectivas para pesquisa, estudos etc. O mesmo acontece com estudantes e profissionais, tendendo a se interessar pelo campo, mas sem pesquisar ou buscar uma especialização para tal", conta.

O cuidado na escolha de um profissional não é um exagero. Segundo pesquisa feita pela Universidad Complutense de Madrid (UCM), o Brasil é um dos três países com maior uso das redes sociais como perfil pessoal. Na mesma pesquisa, o país aparece como o segundo que mais envia mensagens do Twitter no planeta, atrás apenas dos Estados Unidos. De carona no sucesso das redes, as empresas estão se mobilizando cada vez mais para atender e interagir com os clientes por esses canais de comunicação. Uma projeção da empresa E-bit estima que as vendas online devem aumentar mais de 25% até o final de 2012. A postura  das empresas nas redes pode impulsionar as vendas e facilitar a aproximação entre o possível cliente e o produto vendido pelas empresas. "As redes sociais trouxeram a possibilidade de aproximação entre as empresas e pessoas. Isso gera a possibilidade de um canal de comunicação instantâneo entre esses dois personagens. Sendo assim, as grandes empresas criaram seus perfis e geraram uma forma personificada de atendimento", explica o consultor de marketing digital, Breno Kosky.

Para quem quer se qualificar há um leque de opções que vão desde cursos online e presenciais até cursos de graduação e pós graduação. O Sebrae realiza, anualmente, o dia D do marketing com palestras e oficinas gratuitas para quem quer criar sites, blogs, perfis em redes sociais e planejar estratégias de marketing para atuação na internet. No ano passado, mais de 2,3 mil pessoas participaram das atividades e o conteúdo do curso, disponível no site, foi baixado por 47 mil vezes.

Em Belo Horizonte, a empresa de consultoria "Mercado E-commerce" oferece opções de cursos de marketing digital para empresas com foco em mídias sociais para empresas e vendas online. O próximo curso acontece no próximo dia 28. A procura pelo curso mostra que os analistas estão buscando se profissionalizar na área. Segundo a empresa, em menos de duas semanas, 50% das vagas do curso foram preenchidas. (Participe do sorteio de  uma bolsa de estudos para este curso)

Mas, o que fazer para ser um bom analista de redes sociais garantir uma boa atuação das empresas nas redes sociais? O consultor Breno Koscky dá dicas para quem quer se destacar e ser um bom profissional:


Breno Koscky- consultor de Marketing digital
 
Como um profissional de redes sociais deve trabalhar?

• Não fazer propaganda direta para seus produtos ou serviços.
• Aproximar usuários relevantes para sua marca. Neste caso a qualidade dos seguidores importa mais do que a quantidade.
• Gerar conteúdo relevante para esses seguidores.
• Utilizar esses canais para gerar troca de experiências com o consumidor, por meio de experiências de consumo, desenvolvimento de novos produtos ou melhora nos serviços.
• Gerenciar as crises de forma correta. Isso envolve nunca apelar com o cliente e sim tentar uma aproximação para solução de seu problema.
• Procurar oportunidades nas redes através do monitoramento do que as pessoas estão falando e o que os concorrentes estão fazendo.
• Ficar antenado em novas tendências mas sempre tentar manter a originalidade nas ações dentro das redes sociais. Evitar a cópia.
• Desenhar os novos perfis de consumidores através da geração de personas. É importante entender que a análise quantitativa muito comum na publicidade convencional não funciona nas redes sociais.
• Sempre trabalhar com planejamento. Desenvolver metas através de um planejamento estratégico e medir os resultados através das analises de métricas e KPIs.



Promoção: Concorra à uma bolsa de estudos do curso

Fonte:Jornal Hoje em Dia

Nenhum comentário :