Patrocínio

Resumão do #FIRE2015 (parte 2 - domingo)

Um comentário
Mil desculpas a todos pela demora. Sei que já se passaram quase duas semanas #Fire2015 mas, conforme prometido, seguem aqui minhas impressões sobre um dos eventos mais legais que BH já recebeu na área de Comunicação Digital. Para não ser cansativo, vou tentar escrever em tópicos, em ordem cronológica, por palestra, e dividir o post em duas partes (sábado e domingo):

DOMINGO

Vinícius Possebon. Foto: Bruno de Lacerda
- Vinícius Possebom (Q48)
O infoprodutor especialista em emagrecimento rápido falou de funil perpétuo, de PVM (Produto Viável Mínimo), da importância de conteúdos de força de venda como depoimentos, estudos de caso, clientes satisfeitos, audiência e taxa de reembolso como métricas melhores do que faturamento, vendas ou lucro.
"Aplicativos geram leads. O app Q48 teve mais de 56 mil downloads".
"O gatilho mental mais forte é a autoridade. Inviste em assessoria de comunicação".
"Se você não é o número 1 no seu ramo, atue como se fosse".
"Teoria da Toalha Molhada: torça o seu produto até esgotar a última gota".

Pirâmide da Autoridade:

Posebon recebe pintura de presente do João Pedro Resenda, da Hotmart. Participação especial da "Princesa Leia" e do "Chiwi"...rs. Foto: Marcelo Sander



In Hsieh. Foto: Bruno de Lacerda
- In Hsieh (Xiaomi)
In fez parte da equipe que implantou o Submarino no Brasil, é um dinossauro do e-commerce!
"Modelos de e-commerce além do B2B e B2C: assinatura, cross-border (AliExpress), curadoria, D2C (direct-to-consumer), flash sales, mobile first, marketplace, afiliados, infoprodutos, serviços online, serviços presenciais, produtos personalizados pelo usuário, social commerce (esse já era)..."
"Ainda falta o componente humano: enxergar o cliente".
"Quando você estabelece um laço emocional, dificilmente ele se quebra".
"O último contato do cliente com a empresa pode ser o entregador".

Eduardo Santorini. Foto: Marcelo Sander
- Eduardo Santorini (blog Atitude de Homem)
Sugestões de ferramentas de otimização de sites e blogs: Page Speed Insights (Google Developers), Structured Data Trecking Tool, Pingdom (teste de velocidade), W3C Markup Validation Service e Visual Website Optmizer (teste A/B).
"Se você tem muitos concorrentes, provavelmente você está fazendo algo errado".
"Links no meio do texto geram mais cliques do que no final".
"Recomendações de posts semelhantes reduzem bounce rate (taxa de rejeição)".
"Pra gerar tráfego, fuja dos atalhos. O segredo é bom conteúdo, seja texto, áudio ou vídeo".

- Vídeo: Do you write?

"Sobre periodicidade: não espere a criatividade chegar para escrever. Vá escrevendo. Tem que ter dedicação diária. Um texto meu escrito há cinco anos tem os maiores acessos mensais no blog até hoje".
"Tendências: redução de abertura de e-mails e pulverização de mídias sociais".

Bernardo Porto. Foto: Marcelo Sander
- Bernardo Porto (Hotmart e San Pedro Valley)
Bernardo é um "geninho" daqueles precoces. Aos 16 anos já tinha criado um programa pra desfragmentar HDs (Portinho). Algumas empresas e startups depois, ele deixa cinco dicas:

1. Segmente e-mails com tags e links.
2. Faça testes A/B.
3. Contextualize (isso influencia no comportamento).
4. Automatize: Abriu mas não clicou -> Manda outro email na hora -> SMS em tempo real sobre problemas.
5. Data-Driven.

Gui Telles. Foto: Marcelo Sander
- Gui Telles (Uber)
"Queremos eficiência com crescimento orgânico. Hoje o carro é um problema. Queremos transformá-lo em solução por meio da tecnologia. Estamos em 59 países e 350 cidades. São quase 300 escritórios no mundo. O Uber foi criado em 2009 e fundado em 2010. Começou por SMS e apenas um motorista. No Brasil, foi lançado aproveitando a onda de turistas estrangeiros na Copa do Mundo em 2014. É um aplicativo que conecta usuários a motoristas parceiros. Os usuários avaliam o motorista com estrelas de 1 a 5 (feedback). Temos que atender a dois usuários distintos: motoristas e passageiros. Pro motorista, lhe damos demanda em tempo real. Pro passageiro, damos confiança. Lançamos o UberX, que é 30% mais barato que táxi. Enquanto 'avaliação' do taxista é feita apenas pela licença e pelo alvará, o motorista Uber é avaliado pelo próprio usuário, em tempo real, e compartilhado com os demais usuários. O Uber atende a 90% do território americano em até 5 minutos. Vem aí o Uber Pool: compartilhar carros para pessoas e entregas. Em Nova Iorque e São Francisco, o Uber já faz delivery. Em Seattle, acidentes por álcool caíram 20% depois do Uber. Ele gera empregos, embora ainda não gere lucro (e não vá gerar por muito tempo). Queremos motoristas e passageiros satisfeitos. O melhor marketing acontece dentro do carro. Temos 97% de aprovação. Ainda nos resta atingir 3%. Cerca de 10% dos motoristas Uber são ex-taxistas. Queremos garantir o equilíbrio entre oferta e demanda. Uber é legal, mas falta regulamentação. Estamos resolvendo um problema (mobilidade urbana) que os governos ainda não conseguiram resolver. Primeiro vem a inovação, depois a regulamentação".

INTERVALO PARA ALMOÇO
Papos bacanas com Gutemberg Almeida, Breno Koscky e Marcos Lenine ;-)
Conversar com esses caras é quase uma mini-palestra. A gente sempre sai delas aprendendo mais!

Érico Rocha. Foto: Rafael Galdino
- Érico Rocha (Ignição Digital)
Essa foi uma palestra mais conceitual, sobre empreendedorismo, recheada de vídeos e cases. O Érico contou sua história, falou de causa, de ensinar as pessoas a empreender, e aproveitou para divulgar a metodologia da "Fórmula de Lançamento". Falou de gatilhos mentais, reciprocidade, procedência, conversa, feedback, similaridade, geração de comunidade, prova social, testemunhos, etc.


"Quem são seus evangelizadores?"

- Vídeo: canal boom, pegadinha do carrão gerou 7,5 milhões de acessos em 2 meses e 2 milhões de cliques no "Jogo do Texto".

Paula Ziegert. Foto: Bruno de Lacerda
- Paula Ziegert (Visa)
"É preciso entender o sentimento do consumidor em determinado contexto", ao exemplificar como a Visa fez depois do vexame de 7x1 com a hashtag #AquiéCopa.
"Libertadores: a Visa usou fotos de torcedores com as camisas dos seus times na placa de publicidade do campo".
"Ação da Visa pagou 50% da conta de quem pagava com Visa na máquina da Cielo em alguns restaurantes de São Paulo".









- Vídeo Ponto Frio #TheBlackHour (ação que entregava o produto comprado uma hora antes do início do horário de verão com Visa)

 - Visa Concierge 0800
- Sugestão de ferramenta: Origami - gerencia campanhas e conversas nas mídias sociais.

- João Pedro Resende (Hotmart)
Essa palestra eu perdi. Estava fazendo networking...

- Neil Patel
Tema: Como ir de zero a $100k com marketing de conteúdo.
Foi a palestra mais aguardada do Fire 2015 e me rendeu cinco páginas de anotações. Ainda tem fôlego e tempo? Então segue...
1. Nichos
"Atue em um nicho, mas que seja um nicho grande o suficiente para que você ganhe em escala".
"Quanto maior o mercado, mais fácil ganhar dinheiro, mas não entre em mercados muito concorridos".
2. Conteúdo
"A manchete é a coisa mais importante. Números e palavras negativas aumentam CTR. Títulos com 65 caracteres no máximo. O título tem que estar relacionado ao conteúdo. Listas com números maiores e ímpares têm mais performance. Aponte para seis palavras-chave no seu texto. Evite palavras com muitos significados. Use palavras de impacto. Crie conteúdo que ensina as pessoas. Estimule conversas. Responda aos comentários. Termine posts com perguntas."
3. Infográficos
"Até duas mil palavras. Três a cinco subtítulos. Imagens. Cores simples. Marca e URL embaixo do infográfico. Prefira o uso de bullets."
4. Promoção de conteúdo
"Segundas às 11h: melhor horário para posts. E-mails: de manhã cedo. Compartilhe nos fins de semana entre 12h e 18h. A cada mil palavras, crie links para melo menos 25 sites e mande e-mail aos sites avisando que os linkou. Use estratégia secreta de postagem como convidado" (essa dica sinceramente acho que não se adapta ao Brasil. Ficar mandando e-mail pra articulista elogiando-o é meio sacado pra futuramente ser lembrado não me parece viável. Vá criar seu próprio canal/site/blog).
5. Gerar faturamento
"Não tenha preguiça. Consiga suas próprias listas (de e-mail). Otimize o 'signup' dos formulários. Popups funcionam! Inclua call-to-actions. Tenha sessão de posts populares. Tenha popups de saída do site (caso queira gerar leads). Leve os visitantes para suas páginas de vendas. Realize webnários".
6. Regras gerais de vendas
"Tenha up-sells e down-sells relevantes. Quem também tem lojas/produtos físicos vendem mais que quem só tem digitais. Acesse o quicksprout (site do Patel)".

-----------------------------------------------------

Bom, esse foi meu resumão, dividido em duas partes, do Fire 2015 (parte 1 aqui). Além do conteúdo, foi um prazer encontrar com pessoas que tanto admiro nesse mercado como o Breno Koscky (Mercado eCommerce), Gutenberg Almeida (UNA), Marcos Lenine (ScoreIn), Fernando Leroy (UNA), Bruno de Lacerda (ImplantandoMKT) (de quem pude me aproximar mais), Eliane Lages (ImplantandoMKT), Saulo Medeiros (5Seleto), Maurilo Andreas (Casablanca), Teo Scalioni (Minas Inova), Leo Dias (subsecretário da Sectes), Chana Vasco (coaching), Ricardo Carvalho (Hidroex), Alberto André (Rock Content), Ivo Antonioni (Solution) e Silvia Machado (Founders).

Também tive a oportunidade de conhecer profissionais fantásticos como o Diego Abner (5Seleto), Luciana Borges (5Seleto) e Bernardo Porto (Hotmart), além da assessoria de imprensa do evento, sempre prestativa, como André Ridolfi (Hotmart), Isabela Lopes (Zoom Comunicação) e Admilson Resende (Zoom Comunicação), sempre parceiros tanto no apoio à cobertura quanto no sorteio que o blog fez (depoimentos aqui). Até o Fire 2016!

Um comentário :

Lucca Haas disse...

Adorei as dicas dadas aqui...fire é top top top