Patrocínio

Projeto MIDIAPARQUE – Usinas Digitais pode sair do papel

Nenhum comentário

“O talento vence jogos, mas só o trabalho em equipe ganha campeonatos”, já dizia um dos maiores atletas de todos os tempos, Michael Jordan. Foi com esse espírito que o Parque Tecnológico de Belo Horizonte (BH-TEC) e o Instituto Fábrica do Futuro escreveram o projeto MIDIAPARQUE – Usinas Digitais em Rede, que contou com a contribuição do Fórum Mineiro Audiovisual e o Polo Audiovisual da Zona da Mata de Minas Gerais, além da contrapartida do Governo de Minas Gerais através da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes).

O projeto busca incentivar a produção de conteúdos audiovisuais e concorreu ao Edital Usinas Digitais, aberto pelo Ministério das Comunicações. Das 81 propostas encaminhadas para participar do certame, apenas oito foram habilitadas para a próxima fase, que irá selecionar os dois melhores projetos. O MIDIAPARQUE está entre os aprovados. Para a etapa seguinte, Minas Gerais concorre com propostas dos estados do Paraná, Santa Catarina, Bahia, Paraíba, Pará e Distrito Federal. O resultado final está previsto para sair no início de novembro.

MIDIAPARQUE

O projeto, que tem como proponente o BH-TEC, reúne uma ação articulada entre dois arranjos produtivos locais de produção de conteúdos digitais criativos: um em Belo Horizonte, em torno do Fórum Mineiro do Audiovisual; outro em Cataguases, com o Polo Audiovisual da Zona da Mata. A proposta envolve a implantação de centros de produção e pós-produção, conectados em rede, que atendam a todo o estado de Minas Gerais.

De acordo com Mônica Botelho, presidente da Agência de Desenvolvimento do Polo Audiovisual da Zona da Mata, o arranjo institucional é um dos pontos mais fortes do projeto. “Nós, enquanto Arranjo Produtivo Local da Zona da Mata, poderíamos concorrer no edital, porém, faltava a figura da Universidade no projeto. A parceria com o BH-TEC foi fundamental, pois conseguimos unir a visão da Universidade em um Parque Tecnológico, ambiente de pesquisa e geração de conhecimento”, afirma.

Outro benefício que o projeto pode proporcionar é a aproximação da tecnologia com a produção audiovisual. “Com o projeto MIDIAPARQUE, poderemos aproximar ainda mais empresas do setor de desenvolvimento em tecnologias e plataformas digitais com produtoras de conteúdo audiovisual e multimídia. Esse arranjo produtivo de interação e cooperação será, com certeza, base para inovação”, conclui César Piva, presidente do Instituto Fábrica do Futuro

Entenda o projeto MIDIAPARQUE – Usinas Digitais

O Edital de R$ 4 milhões é destinado integralmente à compra de equipamentos para criação de centros de produção e pós-produção de conteúdos digitais criativos, que atendam “arranjos produtivos locais” e vinculados, em especial, a micros, pequenas e médias empresas do setor audiovisual. O Projeto MIDIAPARQUE prevê a instalação de duas bases: uma em Belo Horizonte, outra em Cataguases.

Nenhum comentário :