Patrocínio

Resumão do #FOMS2016 - Fórum de Mídias Sociais da Sectes

Nenhum comentário

Na tarde do último domingo (20), a Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Sectes) mostrou que quer realmente fazer a diferença para transformar Minas Gerais no melhor Estado para o mercado de inovação e tecnologia do país. A Pasta organizou um mega evento no Hotel Ouro Minas para aproximadamente 900 pessoas (sem contar a transmissão online simultânea).

O evento contou com palestrantes de peso como Cid (Não Salvo), Erick Krominski (@MUITOinteressante e ex-CQC), PC Siqueira (MasPoxaVida e Rolê Gourmet), Bella Falconi (instagrammer fitness), Wesley Barbosa (Líder de Desenvolvimento do Facebook e Instagram na América Latina), Juzão (Twitter), Cris Guerra (HojeVouAssim e ParaFrancisco), Victor Peçanha (Rock Content), Victor Salles (Hekima), Rocrigo Cartalho (Sympla), Israel Salmen (Méliuz)Khalil (Kornerz), Cristina Cypriano (professora, psicóloga e doutora em Sociologia) e Joy Falete (Morri de Sunga Branca e Lajoy).

No público, muita gente do mercado entre startups, empreendedores, agências, estudantes, professores, enfim, grande parte do ecossistema de inovação mineiro. Durante a abertura, o subsecretário de Tecnologia e Inovação da Sectes, Leo Dias, divulgou o calendário de eventos integrados para todo o ano (VEJA AQUI).

Como o blog tinha credencial de imprensa, conseguimos entrevistas exclusivas com alguns palestrantes. Infelizmente não foi possível (por limitação nossa mesmo) conversar com todos. Mas seguem algumas falas:

Cid (Não Salvo)

Para uma agência que deseja falar para o público do Não Salvo, que tipo de ações de marketing digital mais tem gerado resultados?

O banner é o que a gente menos usa desde sempre. Nosso posicionamento como publicidade foi diferente do resto da galera. Acho que foi até por isso que ele deu muito certo. A gente está inserido na publicidade. Se tem uma promoção, a gente vai lá e participa da promoção. O Não Salvo acaba fazendo parte da publicidade normalmente como publieditorial. O ideal é conseguir inseria a marca no ambiente que já tá ali. Se tem um atrativo, alguma coisa que chame o cara para aquele conteúdo, pra ler, participar, ele vai fazer isso como sendo um conteúdo normal do blog. Agora começamos a entrar na onda do YouTube, criamos um canal há dois meses. Estamos com 250 mil inscritos e estamos fazendo muita coisa pra essa plataforma, que também é uma forma de inserção da publicidade no vídeo.

Victor Salles (Hekima)

De que forma o Big Data pode auxiliar candidados a prefeito ou vereador em cidades menores?

É importante separar este cenário em três: cidades com mais de um milhão de habitantes, entre 100 mil e um milhão e cidades com menos de 100 mil habitantes. Mas não é 'olho de santo' não. Há cidades menores mas muito engajadas nas mídias sociais, isso ajuda. O big data nesse caso é só o ingrediente, uma forma de trabalhar a informação. Se uma cidade tem 10 mil habitantes, é mais fácil o candidato visitar todas as casas - que é o que eles fazem - e depois utilizar um canal como, por exemplo, o WhatsApp pra tentar aumentar a onda em torno do projeto dele. A grande diferença a ser observada é que, há um tempo atrás, depois que o candidato fazia essas visitas de casa em casa, ele tinha o voto garantido, ele conhecia aquela pessoa. Hoje não é mais assim. O eleitor não é mais tão fiel. Ele muda de opinião mais rápido. É por isso que os institutos de pesquisa muitas vezes 'erram'. Mas nem sempre é erro. É a vontade do eleitor que muda rápido mesmo. O bacana do big data é exatamente observar essas mudanças de cenários e apontar as tendências. A questão é que nem todos os políticos estão preparados para o mundo digital.


Érick Krominski (startup Muito Interessante e ex-CQC)

Gostaria de saber um pouco mais sobre sua startup e em que o SEED-MG contribuiu com ela

O www.muitointeressante.com.br é uma startup que transforma informação em diversão. Esse é o nosso principal foco. Nasceu como um perfil no Twitter, virou blog e depois a gente entendeu que aquilo era um negócio. O SEED, mais importante que para o negócio, foi importante para os empreendedores, que sou eu e mais dois sócios. A Sofia, por exemplo, já está em outra startup. Depois do SEED, dobramos nosso número de seguidores em todas as redes sociais. Mais importante do que números de seguidores, projetos e faturamento, o que ficou de principal foi o que a gente aprendeu. O legal do programa é que ele não foca no negócio, ele foca no empreendedor. Saem de lá pessoas prontas para serem empreendedoras seriais. Quando entrei no programa nem sabia o que era startup...rs. Hoje eu não volto pra TV se tiver que largar o Muito Interessante.


PC Siqueira (Youtuber "velha guarda" / MasPoxaVida / Rolê Gourmet)

Você e o Felipe Neto hoje são considerados os precursores da "vlogosfera" brasileira, a "velha guarda" desse movimento. Como ainda se manter relevante com tanta gente surgindo no YouTube e com conteúdos cada vez mais segmentados? (coincidentemente, foi a mesma pergunta que o Érick Krominski fez ao PC no final do evento).

Acho que é uma coisa de você ficar ligado nas coisas que estão acontecendo, entender pra onde está indo seu trabalho e se reinventar sempre. Não é necessariamente você parar de fazer uma coisa e começar outra. É começar a fazer coisas novas sem abandonar o que você já estava fazendo. Minha ida para a TV foi uma das coisas nesse sentido. Quando cheguei na TV, abrangeu bastante meu público. Até hoje tenho seguidores por causa da TV. A diferença do conteúdo que eu fazia no início para o que eu faço hoje é que antes eu tinha mais liberdade, podia falar sobre qualquer banalidade. Quando eu estava no auge, não precisava me esforçar muito pois os vídeos tinham muitos acessos, independentemente do que eu falasse. Agora acho que eu procuro me posicionar um pouco mais, falar sobre o que considero mais importante porque sei que menos pessoas vão assistir. Então eu quero impactar mais essas pessoas do que um grande público. É uma cobrança pessoal maior. Quero fazer diferença pra quem está vendo, já que é um público menor.

Leo Dias (subsecretário de Ciência e Tecnologia do Governo de Minas)

Como está o processo de seleção do SEED-MG e quais as novidades dessa edição do programa?

São etapas que vamos cumprindo. Desta vez tivemos um recorde no número de inscrições em relação às outras duas etapas do programa. Foram 1453 startups de 48 países diferentes inscritas. Me coloco bem à margem dessa seleção para evitar influência da nossa parte. Quem está cuidando dessa seleção são os 20 especialistas do ecossistema mineiro de startups, tecnologia e inovação. Tem uma empresa licitada para isso. Foi feito um pente fino e na reta final ficaram 150. Agora estamos na reta final. Dia 30 de março vamos anunciar as 40 startups finalistas. Uma das novidades dessa edição são os hubs regionais. Teremos um projeto de interiorização do SEED. Serão 20 hubs, um em cada regional do Estado. A ideia é que tenhamos dentro desses hubs (serão dez este ano e dez no ano que vem) um processo de pré-aceleração, aceleração e pós-aceleração. Será um modelo estilo 'Lemonade' e 'startup You'. Serão esses três procesos para que o empreendedor tenha uma linha do tempo bem clara para que o produto dele vire realmente uma inovação, algo rentável. Nossa estratégia é trabalhar de uma forma sistêmica para que todas as ações tenham começo, meio e continuidade.

Bom, essas foram as entrevitas exclusivas que conseguimos no evento e, para isso, acabamos sacrificando outras palestras ou deixando de conversar com outros palestrantes. O blog parabeniza a todas as pessoas, empresas, profissionais e instituições envolvidas no evento, que foi sucesso de público e crítica.

Nota do blog: Bom rever amigos como Gutenberg Almeida, Caio César, Raquel Camargo, Wander Veroni, Marcelo Fernandes, Bruno Henrique Dias, Natália Boaventura, Elis Amâncio e uma pá de gente boa reunida!

 Turma de Sete Lagoas: William Firmo, Bruno Barbosa, Matheus Cunha e Marcelo Sander

 Palestra do Victor Salles, da Hekima 

Cris Guerra, contando sua trajetória até o sucesso no ambiente virtual. 

 Bella Falconi, considerada o maior fenômeno fitness da atualidade. Personal Trainer, instagrammer.

Vitor Peçanha (Rock Content) e Rodrigo Cartacho (Sympla), representando o San Pedro Valley 

 Vitor Peçanha (Rock Content) e Rodrigo Cartacho (Sympla), representando o San Pedro Valley


Israel Salmen apresentando o Méliuz, outra startup do San Pedro Valley 

PC Siqueira e Érick Krominski respondendo perguntas de quatro pólos UAITEC que assistiam à transmissão ao vivo.

Juzão, representante do Niche, startup comprada pelo Twitter que funciona como plataforma de campanhas digitais para criadores de conteúdo.


Wesley Barbosa, líder de Desenvolvimento de Mercado do Facebook e Instagram para a América Latina, Marcelo Sander e Matheus Cunha



E ainda faltou citar as participações do Khalil, da startup Kornerz (aproxima lojistas e influenciadores digitais); da Cristina Cypriano, professora universitária, psicóloga e doutora em Sociologia especialista em redes sociais; e a Joy Falete, criadora do perfil @pedreiro_online no Twitter, colunista do blog Morri de Sunga Branca e CEO da Lajoy, que agencia influenciadores. Essas eu perdi enquanto entrevistava o resto da turma.

Nenhum comentário :