ID 360 - 28 e 29 de setembro!

Software de gestão de empresa belorizontina vai para os EUA em 2014

Nenhum comentário

Depois de conquistar cerca de 25 mil clientes em todo o Brasil, a Solides Informática, instalada no bairro Ouro Preto, na região da Pampulha, está se preparando para entrar no mercado norte-americano em 2014 com seu principal produto: o software de gestão de pessoas Profiler. "Vai ser uma experiência muito rica para nós", afirma a diretora executiva da empresa, Monica Hauck. Com crescimento médio de 46% ao ano nos últimos cinco anos, a receita da Solides alcançou R$ 2,2 milhões em 2012 e deve atingir R$ 2,5 milhões em 2013.

O carro-chefe da Solides, o software Profiler é usado em recrutamentos, no acompanhamento da rotina dos colaboradores e na elaboração de plano de cargos e salários. A diretora executiva explica que está aproveitando o momento de aportes do mercado em gestão de pessoas. "Investir em pessoas é a chave para o sucesso financeiro. Já está comprovado que companhias que investem em seus colaboradores têm retorno melhor na bolsa de valores. Estamos na era do capital intelectual. Não é mais possível mudar esse cenário.  irreversível", diz. Outra oportunidade vem da informatização do departamento de recursos humanos (RH), que até pouco tempo atrás era completamente manual no Brasil.

O sucesso da empresa se deve também à iniciativa de vivenciar o produto comercializado antes de ele ser vendido ao cliente. "Tentamos implementar na Solides todas as práticas que têm a ver com a cultura de gestão de pessoas. Assim é mais fácil perceber o que o cliente passa, do que ele precisa", comenta Monica Hauck. A atitude começa já no recrutamento. Antes de qualquer coisa, os candidatos que querem trabalhar na empresa fazem o perfil profissional deles pelo Profiler. "O currículo é uma segunda fase do processo seletivo. Se percebemos que o perfil do candidato não se encaixa na nossa demanda, nós não avaliamos o currículo", afirma.

Antes de recrutar um novo colaborador, Monica Hauck explica que é feito um mapeamento para saber se falta algum alinhamento específico que complemente a equipe. "Com esse mapeamento, conseguimos traçar o perfil para o profissional que procuramos. Se o quadro pessoal precisar de uma pessoa mais extrovertida, por exemplo, buscamos esse candidato. Pode ser alguém mais concentrado, ou mais colaborador, ou mais introvertido. Tudo depende das necessidades identificadas. A nossa tentativa é colocar a pessoa certa no ambiente certo", esclarece.

Na avaliação da diretora, a identificação do profissional adequado para cada cargo é muito importante. "Não posso recrutar alguém extrovertido para trabalhar sozinho fechado em uma sala. Também não posso colocar alguém introvertido para fazer apresentações para muitas pessoas. Colocar a pessoa certa no lugar errado a faz sofrer, causa ausência no trabalho e baixa produtividade", explica. Para ela, uma empresa que valoriza as pessoas proporciona mais produtividade. Em primeiro lugar, porque o ambiente de trabalho é bom. Segundo, porque a pessoa se sente valorizada, sente que tem um caminho para trilhar e muitas vezes até descobre um potencial que não conhecia.

A Solides também conta com ambiente bem descontraído. Há saco de boxe (que os colaboradores podem usar para aliviar o estresse), esteira, mesa de sinuca, rede, mesa de ping-pong, entre outros. Monica Hauck informa que, apesar de ter tudo isso disponível, muitos funcionários não se sentem à vontade para usar essas ferramentas. Segundo ela, o brasileiro ainda não está acostumado com essa cultura. Muitas vezes, ela precisa chamar o pessoal para utilizar os instrumentos como um aliado para a atividade, e muito raramente há abusos ou problemas por conta disso.

"O brasileiro ainda não sabe trabalhar com essa autonomia. Temos um passado escravocrata, uma legislação rígida e nossa cultura não se acostumou a essas liberdades. As pessoas têm a impressão de que uma mesa de sinuca não pode fazer parte de um ambiente de trabalho. Mas os benefícios são comprovados. Por um jogo estratégico, a sinuca pode funcionar um estímulo importante para várias atividades e é um socializador para pessoas mais introvertidas", diz.

Mercado - Além de empresas, entre os clientes da Solides estão universidades, escolas de ensino médio e coaches - profissionais que trabalham na área de recrutamento e treinamento. O maior mercado da empresa está em São Paulo, seguido de Minas Gerais e Rio de Janeiro. "Gostaríamos de avançar mais em Minas, porém o mercado aqui é desafiador pois o mineiro é mais conservador com práticas de gestão, é mais resistente à tecnologia", comenta.

Fundada em 1999 por Monica Hauck e seu marido, o estatístico e programador Alessandro Garcia, a Solides iniciou suas atividades desenvolvendo soluções para o setor de agropecuária. "Continuamos atuando nesse ramo com um software de controle de rebanho. Porém, esse não é nosso foco", informa.

Fonte: Diário do Comércio - Juliana de Mari

Nenhum comentário :