Patrocínio

03/12: Henrique Portugal em edição inédita do CreativeMornings At Night

Nenhum comentário

Mais que incentivar ideias inovadoras, a versão mineira do projeto global CreativeMornings vem ajudando na concretização da criatividade. Um exemplo disso é sua próxima edição, que é resultado de uma oficina com o grupo Mesha. Os alunos do curso colocaram a mão na massa e assinam a produção do inédito CreativeMornings At Night. O encontro será no dia 3 de dezembro, a partir das 20 horas, no Distrital (Ru​a Ouro Fino, 452 - Cruzeiro). Para estrear essa nova versão, o convidado é o tecladista do Skank, Henrique Portugal, que baterá um papo com o público sobre “Time”.

De acordo com o publicitário e um dos organizadores do evento, Diego Rezende, a vontade de fazer o Creative à noite sempre existiu, mas a oportunidade só foi concretizada após ele e seus parceiros Leandro Alvarenga e Pedro Raslan participarem como facilitadores de uma oficina no Mesha Lab, um movimento de mentes criativas conectadas para inspirar e cocriar jornadas de aprendizagem transformadoras. “Enxergamos nessa oficina uma forma de compartilhar nossa experiência com o CreativeMornings, mas, acima de tudo, foi uma chance de testarmos e exercitarmos o que realmente acreditamos, ou seja, fazer é o melhor jeito de aprender. Tivemos a satisfação ainda de encontrar uma turma engajada, com uma vontade imensa de realizar coisas, então foi a combinação perfeita para colocarmos o CreativeMornings At Night em prática”.

Como produto final da oficina, o CreativeMornings At Night é a forma dos alunos aplicarem o aprendizado adquirido na promoção e realização de um evento internacional. Mas como Diego Rezende ressalta que “mais importante do que a aplicação desse aprendizado, é a construção de uma atitude empreendedora na turma. Acreditamos que a melhor forma de aprender é fazer e neste sentido, ter coragem e atitude de encarar o desafio é essencial e muito mais valioso do que qualquer conteúdo”.

Há dois anos na capital mineira, o CreativeMorningsBH aposta e acredita cada vez mais na economia criativa da cidade. Para Diego Rezende, este é um caminho que faz sentido para a economia, para a cultura, o turismo e principalmente para os moradores. “Acho que a cidade está começando a descobrir uma vocação e nos sentimos orgulhosos de contribuir para essa descoberta”, destaca.

Um convidado de projeção
Para iniciar em grande estilo o CreativeMornings At Night e ao mesmo tempo valorizar a economia criativa de BH nada mais justo que convidar um representante de sucesso da música mineira, como Henrique Portugal.

Filho de músicos, Henrique aprendeu a tocar piano clássico aos cinco anos de idade, por influência do pai, também pianista. Aos 17 anos, formou sua primeira banda e em 1987, graduou-se em economia na Pontifícia universidade Católica de Minas Gerais. Mas o diploma ficou mesmo na estante, uma vez que o músico já investia exclusivamente na sua carreira musical. Em 1991, ganhou projeção nacional como tecladista do grupo Skank que se tornou uma das mais representativas bandas brasileiras da década de 90, tendo em sua discografia mais de 5 milhões de discos vendidos, entre 11 discos e 4 DVDs lançados.

Embora não tenha levado a carreira de economista adiante, Henrique Portugal afirma que o curso o ajudou muito a ver a música como um negócio. Para ele, independente da profissão é preciso entender um pouco da área. “Se você é um artista e vende quadros você tem que entender como negociar com as pessoas que não entendem de arte. Se você é um jogador de futebol você precisa saber quais são seus ativos”, exemplifica.

Desde o início da formação do Skank, Henrique e seus companheiros apostaram na banda e encararam o projeto como algo muito sério. Para investir em qualquer sonho assim como fez, ele acredita que é preciso tempo e dinheiro. “No Brasil, principalmente, onde a arte não é vista com tanto respeito como outras profissões tradicionais, é necessário investir ainda mais tempo que o normal”.

Como músico e empreendedor Henrique prefere acreditar mais na competência das pessoas do que em ambientes propícios ou não. Para ele o que conta é a capacidade de percepção das pessoas e do que acontece em torno dela. “Falo isso porque nós não precisamos mudar de Belo Horizonte como tantos outros artistas. Por outro lado, esses artistas que partiram rumo a outros lugares também souberam perceber e entender a necessidade de seu público. Portanto, não vejo muita sintonia da cidade ser criativa ou de possibilitar oportunidades, o que vejo é a capacidade das pessoas conseguirem dialogar com o seu público. Na nossa área, por exemplo, Belo Horizonte não tem grandes gravadoras, não tem muitas escolas de música e atualmente não tem tantos lugares assim para tocar ao vivo. Então não acho que é uma cidade que incentiva, pelo menos neste caso. Tenho percebido um movimento muito interessante da economia criativa em nossa cidade, mas gostaria que se estendesse também as artes”.

Em paralelo ao trabalho com o Skank, Henrique Portugal tem um estúdio, em Belo Horizonte, onde se envolve com música independente. Desde 2005, o músico produz e apresenta na internet o programa Frente. É também investidor da Confrapar, principal gestora brasileira de fundos de investimentos para empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação, e sócio do Pleimo, plataforma para artistas independentes. Para ele, o fator tempo, tema que irá abordar no CreativeMornings BH at night, é importante no desenvolvimento de qualquer profissão e projeto. “Saber o momento de maturidade das coisas é muito significativo, pois isso vai te economizar dinheiro e tempo. Essa percepção é feita principalmente observando o que está em sua volta e se todos os indicadores estão a favor ou contra”, finaliza.

CreativeMorningsBH
O CreativeMornings é um evento global, que ocorre em mais de cem cidades, com o intuito de promover um encontro entre profissionais representantes da economia criativa e pessoas que trabalhem ou gostem de inovação. Em seu segundo ano na capital mineira o projeto é organizado pelos publicitários Leandro Alvarenga, Diego Rezende e Pedro Raslan. O patrocínio é da Gerdau e a co-realização é do Sebrae, por meio da Casa da Economia Criativa.

Mais informações: https://creativemornings.com/talks/creativemornings-at-night

Nenhum comentário :